segunda-feira, 19 de julho de 2010

Câncer em Áries





E de repente
explode uma dor
represada,
expondo gritos abafados
qual tormenta que destroi
pastagens
e carrega consigo
qualquer destroço
por onde passa.


Foi insuportável agonia
que causou um terror insano
de uma cólera,
revestida de calma,
e arrebentou
ao escancarar o cárcere.

Nuvens de medo e ira,
encobriram a razão,
alimentando a morte,
no prazer da vingança
alinhavada pelo tempo.

E hoje um sorriso amargo,
mostra dentes afiados,
fazendo escorrer o veneno
que mata,
mas também
afaga.

Carmo

2 comentários:

  1. Forte e intenso...Belíssimo poema!

    ResponderExcluir
  2. Nuvens de medo e ira,
    encobriram a razão,
    alimentando a morte,
    no prazer da vingança
    alinhavada pelo tempo.
    Quantas vzs já senti isto!

    ResponderExcluir